top of page
Fundo.jpg

Blog

As melhores práticas para relatórios de sustentabilidade e divulgação ESG

No cenário empresarial atual, onde as preocupações ambientais, sociais e de governança (ESG, em inglês) estão em ascensão, a implementação de medidas ESG torna-se imperativa. A busca pelo desenvolvimento sustentável não apenas atende às crescentes expectativas de consumidores, investidores e órgãos regulamentadores, mas também contribui para uma visão de longo prazo alinhada com práticas éticas e responsáveis.


No entanto, antes de correr para institucionalizar processos, executar projetos e comunicar as ações de qualquer maneira, o que pode representar um risco maior, é importante compreender como alguns passos podem facilitar essa jornada.


Fincando a Bandeira: Implementando Medidas ESG


  1. Conhecendo o Terreno Como sempre, é necessário saber onde está! Através de análises setoriais, internas e benchmarking são necessários. No entanto, o que se deve avaliar? No ESG Learning instruímos como cada pilar funciona e as temáticas de maior interesse. De qualquer forma, a tratativa dessa temática deve sim ter o apoio e envolvimento da diretoria e do conselho administrativo, isso trará flexibilização e abertura para os novos processos decorrentes, as agendas a serem construídas. Lembre-se, ESG envolve muita transparência, por isso tratar da temática de forma clara para todos é essencial.

  2. Vislumbrando o Horizonte: Criação de Metas e Objetivos Claros Desenvolver projetos, estabelecer parcerias e criar políticas são etapas cruciais na criação de metas e objetivos ESG. A clareza e orientação dessas políticas são essenciais para guiar as práticas da empresa. Projetos e parcerias se tornam mais eficazes quando alinhados a essas políticas, envolvendo equipes e garantindo que cada ação contribua para metas relacionadas ao meio ambiente, responsabilidade social e governança. Metas mensuráveis e prazos realistas promovem a avaliação de progresso e transparência.

  3. Desdobramento de Metas na Cadeia de Suprimentos Grande parte dos impactos estão espalhados ao longo da cadeia de fornecimentos e isso em para os 3 pilares. Dessa forma, as práticas ESG necessitam ser desdobradas para fornecedores e parceiros, no entanto esse processo é mais complexo do que atuar dentro de casa apenas. Buscar fornecedores alinhados aos valores sustentáveis da empresa e implementar critérios ESG na seleção é uma ótima forma de ter um início nessa jornada cadeia de suprimentos mais responsável. 

Construção de Relatórios de Sustentabilidade: Do Compromisso à Transparência

  1. Para quem Reportar? Conhecendo o Público-Alvo O primeiro passo na construção de um Relatório de Sustentabilidade é definir seu escopo e objetivos. Entender as partes interessadas, recortar a temporalidade as delimitações organizacionais são fundamentais para garantir a completude e relevância do relatório. Isso está muito atrelado ao momento da companhia, a sua maturidade e os desafios que identificou no horizonte, por isso, frisamos na importância de compreender bem os primeiros passos. 

  2. O que Comunicar? Selecionando e Explicando Indicadores e Metas Selecionar indicadores de desempenho relevantes e metas de sustentabilidade é crucial. O benchmarking setorial é algo realmente benéfico pois irá apresentar o que mais importante dentro dos pilares no seu setor, mas o aprendizado interno sobre a companhia também deve trazer insumos e estes dois processos.   Nas aulas este processo de sinergia para elaboração de materiais de comunicação ESG é tratado para fácil entendimento de nossos alunos. E pontuamos que os dados necessários devem abranger aspectos como consumo de recursos, emissões, práticas sociais e resultados financeiros. 

  3. Quanto Mais Olhar Melhor: Transparência e Consenso O envolvimento de equipes internas e externas é essencial para garantir a integridade dos dados e objetivos. Avaliar preocupações externas e entender as expectativas das partes interessadas contribui para uma comunicação eficaz. 

Em suma, estamos construindo uma história contínua neste processo. ESG é uma agenda em desenvolvimento que não mostra sinais de desaceleração ou mudança de consistência. Portanto, nesta jornada, é essencial compreender onde estamos e onde precisamos chegar para que a empresa seja uma força motriz na mudança necessária para que nosso planeta continue a prosperar e combater as diversas crises que enfrentamos.



Autor: Yuri Bauer | Analista ESG na ESG Now

Comments


bottom of page