top of page
Fundo.jpg

Blog

Os desafios e barreiras enfrentados pelas empresas na implementação do ESG

A sigla ESG (Ambiental, Social e Governança, em português) é destaque no mundo dos negócios. A busca no Google Trends vem aumentando ano a ano, triplicando de 2021 a 2023. Se está aqui, quer saber como damos início a essa jornada e quais são os desafios e barreiras que podem ser encontrados.


Este processo de adotar os critérios ESG é muito benéfico devido à visão diversa e ao amadurecimento que este processo agrega na melhoria da reputação da empresa, na atração de investimentos e na redução de riscos. A implementação de uma estratégia ESG eficaz pode ser desafiadora.


  1. Visão Límpida do Horizonte a Desbravar

Mesmo com a PR 2030, norma ABNT, que não é mandatória, mas sim uma “Prática Recomendada”, a ABNT entende que não temos um único caminho ou uma régua certa para equilibrar o ESG.


O que é possível fazer é mensurar a maturidade que a companhia e o negócio possuem em cada um dos pilares através de uma série de questões que são oriundas de standards, guidances, frameworks, reportes, ISO, legislações e certificações. O ESG é um grande guarda-chuva e cada instituição ou associação que ajuda em trabalhos de mensuração dos impactos e traz a clareza dos comportamentos das companhias auxilia na construção dessa maturidade.


Então, de início, é bom saber qual o seu nível de maturidade e para isso pode usar o nosso autodiagnóstico ESG.

Figura 1 - Níveis de Maturidade Descritos na ABNT PR 2030

Se não conhece quais os pilares são mais fracos do ESG na sua companhia, o risco de fortalecer apenas onde está mais fácil e ampliar os riscos em temas mais fracos é grande.

Desenvolver as matrizes de risco e, em sequência, de materialidade são passos excelentes para se preparar na criação de projetos e estratégias para cada temática.

Se estes passos não forem bem executados, a segunda barreira será.


  1. Alto Custo

Tudo tem um custo e ele é muito maior quando mal executado ou com necessidade de ser refeito, e isso pode lhe trazer o efeito rebote. Este efeito é sobre uma análise superficial de uma temática e, quando implementada, ela traz o efeito contrário ou redireciona o impacto para outra temática ou pilar.


A visibilidade do investimento no projeto necessita ter uma finalidade clara e viável para garantir sua perenidade e escalabilidade. Os custos podem incluir investimentos em novas tecnologias, treinamento de funcionários, consultoria especializada e mudanças na estrutura da empresa. Estamos querendo promover impactos positivos, então quanto mais pessoas atingirmos, melhor!


A clareza no custo de operação precisa ser tratada com as lideranças e todos que tomam decisões, pois um processo de implementação de projetos irá migrar para incorporar estratégias e, nisso tudo, teremos mudanças diversas, principalmente culturais.


  1. Cultura e sua Metamorfose

A mudança para uma cultura ESG exige o engajamento de toda a empresa, desde a alta administração até os funcionários da linha de frente. Isso pode ser um processo lento e desafiador, especialmente em empresas com culturas tradicionais.

Para as altas lideranças, é importante mostrar solidez e clareza na empreitada, enquanto para os outros níveis, mostrar como a participação é crucial, empoderá-los e mostrar a importância e necessidade das equipes é crucial.

Ponto de Atenção: Sobrecarregar equipes é um indicador de que algo pode estar mal desenhado no projeto.


  1. Falta de Expertise

Muitas empresas ainda não possuem o conhecimento para executar tal incorporação e aqui temos dois pontos bons para tratarmos:

4.1. Diversidade é crucial. Uma equipe que venha com vivências diversas, tanto profissionais quanto pessoais, auxilia muito nas discussões e ancoragem de pontos fortes e fracos em um projeto, abordagem, comunicação, desenho de produtos e outras questões mais. ESG é um grande guarda-chuva, isso respalda em muitas áreas e a ideia aqui é confluir as diferentes temáticas de trabalho.

4.2. Peça ajuda. ESG não é um caminho solo, é uma rede em conjunto, por isso, buscar capacitações, cursos, treinamentos, fazer benchmarking e contratar consultorias especializadas é muito melhor do que iniciar processos sem segurança. Estamos a anos atuando nesse apoio, de pequenas a grandes indústrias. Se quiser saber mais, fale com nosso time.

  1. Dificuldade em Mensurar os Resultados

Mensurar ESG é difícil, mensurar em um big number só é uma tarefa que muitas vezes não exemplifica bem o que de fato está ocorrendo na companhia, por isso, buscar entender os temas materiais para a companhia e buscar no mercado como esses temas são mensurados é um caminho mais condizente e tornará mais palpável a expectativa dos projetos desenhados.

De considerações finais, podemos deixar uma rápida recapitulação do que falamos.

Temos desafios e várias maneiras de superá-los:

  • Investir em educação e treinamento: É fundamental que os funcionários de todos os níveis da empresa compreendam o que significa ESG e como ele se aplica ao seu trabalho.

  • Contratar consultores especializados: Consultores experientes podem ajudar as empresas a desenvolverem e implementar uma estratégia ESG eficaz.

  • Utilizar ferramentas e plataformas digitais: Diversas ferramentas e plataformas digitais podem ajudar as empresas a gerenciarem seus programas ESG, monitorar seus resultados e se comunicar com stakeholders.

  • Benchmarking: As empresas podem aprender com outras empresas que já estão implementando o ESG com sucesso.

  • Comunicação transparente: É importante comunicar os valores e as práticas ESG da empresa aos stakeholders de forma transparente e clara.

A implementação de uma estratégia ESG eficaz não é uma tarefa fácil, mas é um investimento que vale a pena. As empresas que se comprometerem com o ESG estarão mais bem preparadas para enfrentar os desafios e construir um futuro mais sustentável para todos.


Autor: Yuri Bauer | Analista ESG na ESG Now

bottom of page